segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Peregrinações dão o clima do Círio

Desde o começo deste mês, milhares de imagens de Nossa Senhora de Nazaré, com livros para novenas e cantos, além de cartazes, estão circulando por milhares de lares em toda a capital paraense e região metropolitana. A Comunidade de Oração Senhora Sant'Ana, da Paróquia São João Paulo II, está com três imagens.
"Nossa caminhada não objetiva quantidade de participantes nem número de novenas. Desejamos fazer um trabalho de evangelização com qualidade. Vamos peregrinando nas casas, nos prédios, nas empresas e até no quartel do Batalhão de Polícia Ambiental para levar o evangelho, a boa nova de Jesus Cristo a todas as criaturas. Nossa Senhora de Nazaré, que nos protege, é o mote para a evangelização, sempre dizendo 'fazei tudo o que Ele vos disser'. E é assim que estamos fazendo, afirma Nazaré Sarmento Barbosa, coordenadora da comunidade.
Ela explica que nesta fase, não participar das peregrinações deixa um "clima de vazio no coração da gente; mesmo enfrentando mil e uma dificuldades, é sempre melhor a gente estar participando".

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Polícia Militar comemora 16 anos do Batalhão de Polícia Ambiental


Depois da passagem de comando, personalidades recebem diploma da PM
Uma solenidade cívico-militar, na manhã de terça-feira passada, 29/08, marcou os 16 anos de criação do Batalhão de Polícia Ambiental e a troca de comando. O evento se realizou na sede do batalhão, à Avenida João Paulo II, no bairro do Souza, em Belém, e começou às 9h. O tenente coronel Fernando Alberto Bilóia assumiu o comando da unidade militar, substituindo o coronel Mauro Barbas, que agora é comandante de Policiamento Regional XII, no município de Breves, no Marajó.
Durante o evento, militares e autoridades civis foram agraciados com a 'Láurea do Mérito Pessoal” e diploma de “Amigos do BPA”. Oito policiais militares receberam o diploma de Destaque Operacional. Entre os civis que receberam o diploma assinado pelo coronel Fernando Bilóia, está a jornalista Nazaré Sarmento Barbosa, que coordena os eventos religiosos da Paróquia São João Paulo II e Comunidade de Oração Senhora Sant'Ana no Batalhão.
Na véspera da solenidade, terça-feira, 29, ocorreu a missa mensal do Batalhão, presidida pelo Padre Pedro Dioclésio, que, na oportunidade, abençoou a unidade militar, o novo comandante e todo o contingente do BPA.
“A ação da Polícia Ambiental vai além da fiscalização e aplicação da lei. Numa época em que cresce cada vez mais a conscientização da população, o Batalhão de Polícia Ambiental investe em projetos de educação ambiental, que levam informação e conceitos ao público de todas as idades, para que cada um se torne um agente ativo na preservação do meio ambiente”, afirmou o comandante do Batalhão de Polícia Ambiental, tenente-coronel Fernando Bilóia.
A comemoração de aniversário do BPA conta com uma vasta programação que iniciou com a palestra de Educação Ambiental, realizada na última segunda-feira, 28, para os alunos da Unidade de Educação Infantil “São José”, no bairro da Pratinha. Aproximadamente 40 crianças entre 3 e 4 anos participaram do evento que abordou assuntos sobre a importância doa animais silvestres em nossa fauna, maus tratos e a biologia dos animais. As crianças também tiveram contato com animais taxidermizados e outros que estão em reabilitação.
Nesta quinta-feira, 31, acontece o Desafio Ambiental: BPA Aventura, no qual os militares competidores participarão de uma corrida de 4 quilômetros com orientação e 23 quilômetros de percurso ciclístico. A concentração dos grupos participantes acontecerá a partir das 7h, no parque do Utinga.
“As ações de integração com a comunidade representa a capacidade da Polícia Militar de, cada vez mais, se renovar, e da possibilidade de avançar. Hoje, com o Comando de Polícia Ambiental, estamos começando a trabalhar a parte estratégica da política ambiental do estado”, relatou o coronel Mauro Pinheiro, comandante de Policiamento Ambiental, que se fez presente ao evento e foi o primeiro comandante do BPA.

Histórico

Preocupada com as questões ambientais, a Polícia Militar do Pará instituiu a 1ª Companhia Independente de Polícia de Meio Ambiente - CIPOMA no município de Parauapebas com o objetivo de proteção e preservação da Floresta Nacional do Araguaia e posteriormente, em 04 de abril de 1994, foi criada a 2ª CIPOMA/12ª CIPM, através da Portaria nº 023, devido a necessidade de preservação do Parque Ambiental de Belém.
Em 02 de agosto de 2001, através do Decreto n° 4.749, O Batalhão de Polícia Ambiental foi criado. Em 2006 o BPA fica subordinado ao Comando de Policiamento Especializado – CPE. Com a função de “exercer a polícia administrativa do meio ambiente, nos termos de sua competência, na constatação de infrações ambientais, na apuração, autuação, perícia, e outras ações legais pertinentes, quando assim se dispuser, conjuntamente com os demais órgãos ambientais, colaborando na fiscalização das florestas, rios, estuários e em tudo que for relacionado com o meio ambiente”.
Em 30 de março de 2017, através do Decreto n°1.735, o Comando de Policiamento Ambiental foi criado, tendo seu primeiro comandante o Cel Mauro Pinheiro, desta forma o BPA passou a ser subordinado ao CPA, juntamente com a Companhia Independente de Polícia Fluvial.






sexta-feira, 1 de setembro de 2017

E chega setembro

Começamos hoje o novo mês, setembro, fase das marés altas no Estado do Pará, Norte do Brasil, região Amazônica, Hemisfério Sul, continente sul-americano. Mês que já começa meio que parado por conta da Semana da Pátria, em que as crianças, os estudantes, vão à escola apenas para marchar em honra à Independência do Brasil.
Neste ano, de 2017, um ano atípico, em que estamos caminhando, para a frente, mas sem ver luz ao final do túnel, diante da grave crise econômica, política, social, de um Brasil mergulhado num atoleiro de desmandos, com grande parte da população desempregada e enfiada em dívidas sem previsão de pagamento, dadas as dificuldades em ter acesso à moeda, que só chega com facilidade às mãos de corruptos, de ladrões que estão acima do bem e do mal, dando as cartas nos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, bem como, na própria imprensa, que cala diante de tanta estupidez.
Estamos em um país, neste mês de setembro, onde o presidente da República só pensa em se manter no poder pelo poder do dinheiro, passando por cima de seu maior patrimônio, o povo, como um trator de guerra, tal qual na Praça da Paz em Pequim. Para se manter no poder, o governo compra até a alma dos parlamentares, mas, publicamente, coloca um ministro malandro e sem coração a dizer que há de cortar gastos públicos, benefícios porque a Previdência Social está falida. Ou seja, tem  dinheiro, e muito, para financiar a corrupção, mas nada para financiar o bem-estar da população, que está sob a mão de ferro do presidente, do chefão dos deputados e de seu imediato substituto, um tal de Fufuca. Para onde caminhamos? Para onde vai setembro?

domingo, 21 de maio de 2017

Município paraense assina protocolo de intenções com Portugal

Vista aérea de São Caetano de Odivelas-PA/Foto: Ray Nonato
Um protocolo de intenções objetivando o irmanamento entre duas cidades de diferentes continentes e países irmãos, foi assinado entre São Caetano de Odivelas, no Estado do Pará, e Odivelas, em Portugal. Por meio desse documento, será feita a integração cultural, turística, acadêmica e de políticas públicas voltadas para as duas populações na troca de informações sobre bioma amazônico do nordeste salgado paraense, coleta de caranguejo, clima, entre outros.
A assinatura do protocolo contou com a presença do prefeito paraense Mauro Rodrigues Chagas Macalé e o presidente da Câmara de Vereadores de Odivelas, o português Hugo Martins, que fez o convite à delegação do município paraense.
De acordo com Macalé, o relacionamento oficial entre São Caetano de Odivelas, no Pará, e Odivelas, em Portugal, começou em 2015, ano em que a cidade portuguesa era administrada por Suzana Amador, atual deputada junto ao parlamento daquele país. Entretanto, destacou, que, historicamente, as duas cidades estão ligadas desde a fase do Brasil Colônia, quando os jesuítas se instalaram no antigo lugarejo que deu origem ao atual município e o padre português, Frei Felipe, deu o nome de Odivelas em homenagem a sua terra natal e ao santo do dia, São Caetano da Divina Providência, como era de costume fazerem os religiosos jesuítas naquela época. Macalé ressaltou, ainda, que o protocolo de irmanamento representa a formalização de um importante intercâmbio entre as duas cidades, já que “ambas passarão a gerar um acordo com os princípios de igualdade e benefício mútuos”.
A solenidade aconteceu no último dia 8, no Passo Municipal de Odivelas. O vereador Hugo Martins disse considerar o irmanamento muito importante para ambas as cidades e assinalou que a ideia é promover um encontro cultural e comercial. "Temos laços históricos em comum e, por isso, considero que estou assinando um protocolo muito oportuno para que tanto a população de odivelenses brasileiros como a de portugueses possa promover intercâmbios culturais e turísticos".
De acordo com o documento, o começo da cooperação em vários setores inclui investimentos diretos, cultura, educação, meio ambiente e, especialmente, turístico, visando a divulgação “deste importante segmento da economia no sentido de atrair turistas europeus para o município paraense que tem um grande potencial turístico e cultural que precisa ser explorado para gerar renda e bem estar para a população de São Caetano de Odivelas.
Já Odivelas, em Portugal, tem população de cerca de 150 mil habitantes e está situada na região metropolitana de Lisboa. É administrado por uma câmara municipal composta por um presidente e dez vereadores, embora o legislativo municipal seja constituído por 37 parlamentares.
Atualmente, milhares de cidades, em mais de 120 países, participam do programa de irmanamento, cuja iniciativa é estimulada pela Organização das Nações Unidas (ONU), sendo que o vínculo tem como princípio estabelecer a troca de experiências e firmar parcerias que resultem na melhoria da qualidade de vida dos habitantes de cada um dos municípios envolvidos.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Ex-primeira dama Marisa Letícia tem morte cerebral

Família autoriza retirada dos órgãos para doação.
Internada desde o mês passado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, capital, a ex-primeira dama do Brasil, Dona Marisa Letícia Lula da Silva, mulher do ex-presidente Lula, teve morte cerebral decretada na manhã desta quinta-feira. A família do ex-presidente Lula autorizou que os médicos façam a retirada dos órgãos de D. Marisa para doação. D. Marisa sofreu um Acidente Vascular Cerebral e estava internada. Na terça-feira, apresentando melhoras, ela teve a sedação reduzida, mas piorou ontem.
Na Câmara dos Deputados, onde acontece, neste momento, a sessão de eleição do novo presidente da Casa, vários parlamentares estão iniciando suas falas com votos de condolências ao ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva.


quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Crise atinge os shoppings de Belém

A cidade de Belém conta com cinco shoppings centers e várias galerias. Em todos esses conglomerados comerciais encontramos espaços em desuso, camuflados por propagandas anunciando novos empreendimentos. Um dos jornais da capital, O LIBERAL, mostra, em sua edição de hoje, uma reportagem sobre o que vem acontecendo nesses espaços, com fechamento de lojas, sobretudo as pequenas, menos tradicionais, por não aguentarem a ausência de clientes e altas taxas administrativas da direção dos espaços.
Em alguns casos, segundo a matéria, as negociações com os shoppings não são nada fáceis; em outros, há negociações, mas os custos continuam altos. Os trabalhadores temem pelo desemprego que já atinge os 15 milhões de brasileiros.
Um dos shoppings, localizado à Rodovia BR-316, se modernizou, ampliou os espaços, no entanto, é o local onde encontramos o maior número de espaços desocupados e com o fechamento significativo de uma das lojas âncoras, que atraem consumidores.
Outro shopping, localizado na Avenida Centenário, é bem moderno, porém, desde sua inauguração, ainda não teve seus espaços 100% ocupados. Os que menos apresentam espaços cobertos por anúncios são os shoppings da Avenida Visconde de Souza Franco e da Travessa Padre Eutíquio, este, num dos pontos mais nobres da cidade, no bairro de Batista Campos, já perto do centro da capital paraense. No entanto, o que se observam, são lojas vazias, com propagandas de queima de estoque, mas cujos valores não encorajam a população a fazer novos gastos.
"Todo mundo está se segurando como pode. Hoje em dia, só se compra o que é mais necessário, como a comida, por exemplo. Temos que garantir os encargos sociais como água, luz, telefone e o combustível ou transporte público. Se sobra algo, é que se gasta, mas o momento é de segurar", afirma Benedito Bené Belém, sindicalista e administrador de empresas. Para ele, "o melhor é comprar na feira, pois até nos supermercados as coisas estão caras demais, nada fáceis para quem ganha pouco".

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Atleta paraense entre as vítimas da tragédia com avião que levava delegação da Chapecoense

Aeronave acidentada na madrugada de hoje provocando as mortes de 76 pessoas entre jogadores, jornalistas e tripulação


ALÉM DE LUCAS GOMES, QUE JOGOU PELA TUNA LUSO-BRASILEIRA, TAMBÉM MORREU BRUNO RANGEL, QUE JOGOU PELO PAYSANDU ESPORTE CLUBE

O paraense Lucas Gomes, natural do município de Bragança, no nordeste do Pará, está entre as vítimas fatais da tragédia envolvendo o avião da LAMIA, empresa aérea da Colômbia que caiu no começo da madrugada de hoje quando estava a pouco mais de trinta quilômetros do aeroporto de Medellin. A família foi comunicada oficialmente nesta manhã pela direção da Chapecoense, cujo plantel jogaria amanhã pela semifinal da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional.
Além de Lucas Gomes, que jogou pela Tuna Luso-Brasileira, também outro jogador conhecido do paraense, Bruno Rangel, que jogou pelo Paysandu Esporte Clube, faleceu na queda do avião. Em decorrência, o clube paraense também decretou luto oficial.
A notícia da queda da aeronave deixa o mundo esportivo de luto, pois esta é considerada a maior tragédia envolvendo uma delegação de atletas. O presidente Michel Temer decretou luto oficial de três dias e determinou que a Força Aérea Brasileira disponibilize aeronaves para levar familiares das vítimas para a Colômbia, bem como, para fazer o traslado dos brasileiros mortos para serem sepultados em suas terras natais.
Além dos jogadores, também um grupo de 21 jornalistas de vários veículos de imprensa perderam a vida no acidente. A Federação Nacional dos Jornalistas - FENAJ e os sindicatos da categoria em todo o Brasil estão mobilizados em apoio às famílias enlutadas.
Seguem, abaixo, maiores detalhes acerca do acidente, com informações de várias agências de notícias e portais.

AVIÃO DA CHAPECOENSE LEVAVA

21 PROFISSIONAIS DE IMPRENSA

Da Agência Ansa com Agência Brasil
Autoridades colombianas disseram hoje (29) que, entre os 76 mortos do acidente aéreo com o avião da Chapecoense, há 21 jornalistas e representantes da imprensa e nove tripulantes, além dos jogadores e dirigentes esportivos. As equipes de impresa são das emissoras Fox e Globo, além de canais de rádio. As informações são da agência de notícias Ansa.
Ao menos 22 jogadores da Chapecoense estavam no avião que caiu na noite de ontem no município de La Ceja, perto de Medellín, onde a equipe catarinense disputaria a final da Copa Sul-Americana.
Dos atletas, sobreviveram apenas os goleiros Danilo e Jackson Follmann e o lateral Alan Ruschel. Todo o restante morreu na tragédia.
As vítimas do elenco são os laterais Giménez, Dener e Caramelo; os zagueiros Marcelo, Filipe Machado, Thiego e Neto; os meio-campistas Josimar, Gil, Sérgio Manoel, Matheus Biteco, Cleber Santana e Arthur Maia; e os atacantes Kempes, Ananias, Lucas Gomes, Tiaguinho, Bruno Rangel e Canela.
Alguns atletas não embarcaram com a delegação, como Neném, Hyoran, Martinucico, Nivaldo, Rafael Lima e Demerson, que não vinham sendo usados pelo técnico Caio Júnior, que também faleceu. O prefeito de Chapecó, Luciano Buligon, estava na lista de convidados do clube, mas não viajou.

Saiba Mais

Entre os 72 passageiros, além dos 22 jogadores, havia 18 membros da comissão técnica, oito da diretoria, três convidados, incluindo o presidente da Federação Catarinense de Futebol, Delfim Peixoto Filho, e 21 representantes da imprensa, inclusive o ex-jogador e ex-técnico Mário Sérgio, comentarista dos canais Fox Sports.
Confira a lista de passageiros do voo:
Atletas:
1. Danilo
2. Gimenez
3. Bruno Rangel
4. Marcelo
5. Lucas Gomes
6. Sergio Manoel
7. Felipe Machado
8. Matheus Biteco
9. Cleber Santana
10. Alan Ruschel
11. William Thiego
12. Tiaguinho
13. Neto
14. Josimar
15. Dener
16. Gil
17. Ananias
18. Kempes
19. Follmann
20. Arthur Maia
21. Mateus Caramelo
22. Aílton Canela
Comissão técnica:
22. Caio Júnior
23. Duca
24. Pipe Grohs
25. Anderson Paixão
26. Anderson Martins
27. Dr. Marcio
28. Gobbato
29. Cocada
30. Serginho
31. Serginho
32. Adriano
33. Cleberson Silva
34. Maurinho
35. Cadu
36. Chinho di Domenico
37. Sandro Pallaoro
38. Cezinha
39. Giba
Diretoria:
40. Plínio D. de Nes Filho
41. Nilson Folle Júnior
42. Decio Burtet Filho
43. Edir de Marco
44. Ricardo Porto
45. Mauro dal Bello
46. Jandir Bordignon
47. Dávi Barela Dávi
Convidados:
48. Delfim Peixoto Filho
49. Luciano Buligon
50. Gelson Meisão
Imprensa:
51. Victorino Chermont
52. Rodrigo Gonçalves
53. Devair Paschoalon
54. Lilacio Júnior
55. Paulo Clement
56. Mario Sergio Paiva
57. Guilher Marques
58. Ari Júnior
59. Guilherme Laars
60. Giovane Klein
61. Bruno Silva
62. Djalma Neto
63. Adré Podiacki
64. Laion Espindula
65. Rafael Henzel
66. Renan Agnolin
67. Fernando Schardong
68. Edson Ebeliny
69. Gelson Galiotto
70. Douglas Dorneles
71. Jacir Biavatti

POLÍCIA COLOMBIANA CONFIRMA 76 MORTES NO ACIDENTE
A polícia colombiana confirmou que 76 pessoas que estavam a bordo do avião que levava o time da Chapecoense morreram no acidente ocorrido nesta madrugada (29). As informações são da agência Ansa.
O avião que levava o time da Chapecoense sofreu um acidente na madrugada desta terça-feira (29), na Colômbia, com 81 pessoas a bordo, sendo 72 passageiros e nove tripulantes.
Entre as pessoas que estavam na aeronave, havia jogadores, dirigentes esportivos e jornalistas. O avião era um British Aerospace 146, gerenciado pela companhia boliviana Lamia.
Ele teria desaparecido do radar e feito um pouso forçado, devido a uma falha elétrica, em Cerro Gordo, nas proximidades da cidade de La Unión. Fontes locais dizem que a aeronave estava a apenas cinco minutos de voo do aeroporto mais próximo, mas o piloto decidiu arriscar o pouso antes.
Ele teria, inclusive, esvaziado os tanques de combustível para evitar uma explosão. O avião, que havia decolado de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, tinha como destino final o município colombiano de Medellín, onde a Chapecoense disputaria as finais da Copa Sul-Americana, contra o Atlético Nacional, amanhã à noite.

REPERCUSÕES

A imprensa internacional dá hoje (29) grande destaque à queda de um avião em Cerro Gordo, na Colômbia. O avião transportava 81 pessoas. Estavam a bordo 22 jogadores da Chapecoense, time de futebol de Santa Catarina.
Segundo as informações do jornal britânico The Guardian, o avião perdeu o contato com controladores de terra à meia-noite (horário local) e provavelmente tentou fazer uma aterrissagem forçada. Pelas informações ainda não confirmadas, o número de mortos pode passar de 75.
Emissoras de rádio e televisão dos Estados Unidos informaram que o avião vinha da Bolívia para o aeroporto de Medellín, na Colômbia, onde a  Chapecoense iria enfrentar o Atlético Nacional, de Medelin, em dois jogos finais da Copa Sul-Americana.
Cinco pessoas teriam sobrevivido, incluindo o jogador Alan Ruschel e o goleiro Danilo, que estão no hospital. As emissoras observam, porém, que ainda não há dados oficiais sobre o número de sobreviventes.
Vários jornalistas esportivos também estavam no voo, inclusive, o comentarista Mário Sergio, ex-jogador e ex-técnico de futebol.
Fortes chuvas estão dificultando os esforços de resgate, mas cerca de 90 trabalhadores de serviços de emergência estão agora no local do acidente. O prefeito de Medellín disse que o acidente foi "uma tragédia de proporções enormes".

COMBUSTÍVEL

O diretor-geral de Aeronáutica Civil (Aerocivil) da Colômbia, Alfredo Bocanegra, afirmou que não há evidência de combustível na aeronave que se acidentou com a equipe da Chapecoense, próximo à cidade de Medellín. A informação foi divulgada por meio do perfil da Aeronáutica Civil da Colômbia (Aerocivil) no Twitter.
Segundo a Aerocivil, no entanto, os dados e informações sobre o acidente ainda estão sendo recolhidos para que seja iniciada uma investigação. De acordo com Bocanegra, a aeronave foi declarada como desaparecida às 21h54, no horário de Medellín (0h54, no horário de Brasília).

HISTÓRICO

A avião que caiu com a delegação da Chapecoense enquanto viajava para Medellín, Colômbia, local do primeiro jogo da decisão da Copa Sul-Americana, era um BAe 146 (RJ-85) da empresa venezuelana Lamia (Línea Aérea Mérida Internacional de Aviación). O avião, que desapareceu do radar nas cercanias da cidade de La Unión, transportava 81 pessoas, sendo 72 passageiros e sete tripulantes.
BAe 146 envolvido no acidente
Foto: Keithnewsome Airport-Data

A Lamia é uma empresa com sede na Velezuela e que possui operações na Bolívia, onde foi registrado o avião envolvido no acidente. A aeronave, matricula CP-2933, realizou o primeiro voo em março de 1999, sendo entregue no mesmo mês para a norte-americana Northwest (Mesaba), onde voou até meados de 2006. No ano seguinte, foi repassado a CityJet, e vendido a Lamia da Venezuela em 2013. Em fevereiro de 2014, a aeronave foi transferida para a Lamia boliviana, onde operava desde então.
O BAe 146 é um avião regional quadrimotor produzido pela British Aerospace entre 1983 e 2002. A aeronave surgiu como uma das pioneiras no segmento, oferecendo capacidade inferior aos 100 assentos, com propulsão a jato e custos operacionais ligeiramente superiores aos grandes turbo-hélices que ainda eram operados na época, como o Lockheed Electra. Ao logo de 17 anos, o fabricante lançou três gerações do modelo, que ao total acumularam 387 aeronaves produzidas.
O BAe 146-200 surgiu em 1982, logo após o primeiro voo do BAe 146-100, contando com uma fuselagem alongada em 2,41 m e impulsionado pelos motores Textron Lycoming LF 507. Em 1993, já dentro da nova estrutura comercial da BAe System, a Avro International redesigna o modelo como RJ85, realizando algumas melhorias de projeto, assim como um novo layout de cabine que pertiu o transporte de até 112 passageiros.
A família BAe 146 não resistiu à chegada de modelos mais econômicos como a série CRJ da Bombardier e posteriormente aos Embraer E-Jets. Embora tivesse uma capacidade ligeiramente superior aos novos rivais, seus quatro motores e as dificuldades de venda dos britânicos levaram ao encerramento do projeto em 2002.
De acordo com informações iniciais, o Chapecoense havia tentado fretar o avião partindo de São Paulo, mas foi vetado pela ANAC. A Lamia é uma pequena empresa com sede em Mérida, Venezuela, sem tradição no transporte aéreo e que opera uma frota composta por três RJ-85, enquanto sua divisão boliviana operava uma aeronave, a que está envolvida no acidente.
No website da empresa existe um alerta para a busca de sócios, demonstrando a falta de recursos da pequena companhia aérea. Atualmente a Venezuela não possui nenhuma empresa de aviação regular expressiva e as poucas que mantém sede no país sofrem com a falta de recursos e com a grave crise econômica.

O acidente

De acordo com as autoridades colombianas, chovia na região de Medellín e a aeronave caiu numa região de montanhas no entorno da cidade. Embora seja uma informação preliminar, as autoridades de aviação não descartam uma queda por pane seca. Por ora, as equipes de buscam afirmam que a aeronave não explodiu na queda e que alguns sobreviventes já foram resgatados.
Embora alguns veículos de comunicação tenham afirmado que o piloto teria "alijado" o combustível, o BAe 146 em todas as suas versões, não conta com o sistema de dump fuel, que permite aliviar a quantidade de combustível presente nos tanques.
Os sobreviventes estão sendo levados para dois hospitais da região próxima ao aeroporto Jose Maria Córdoba, em Rionegro, nas imediações de Medellín.

Peregrinações dão o clima do Círio

Desde o começo deste mês, milhares de imagens de Nossa Senhora de Nazaré, com livros para novenas e cantos, além de cartazes, estão circulan...