domingo, 29 de outubro de 2017

Idolatria

Costumo ouvir que somos idólatras por seguirmos Nossa Senhora de Aparecida, de Nazaré, a Mãe de Jesus sob quaisquer de seus mais variados títulos. Não vejo por aí e nem vou, aqui, discutir religião, credo, opiniões fundamentalistas de seitas etc. Mas, uma coisa é certa: somos um país idólatra mesmo.
Aqui, mesmo as seitas, têm seus representantes eleitos por seus seguidores para cometerem toda sorte de desmandos, roubos, corrupção etc contra a massa. O poder, e o poder pelo poder são idolatria.
Não vejo Cristo a precisar de representante em Brasília, nas assembleias legislativas ou câmaras de vereadores.
Muitas vezes deixamos de prestar culto a Deus porque está na hora do futebol, na hora da festa, em dia de eleição.
Aqui alguém criou a máxima de que "primeiro a obrigação, depois, a devoção". E acho que devemos cumprir compromissos nos dois lados; pelo menos, quem tem devoção ou diz ter.
Dizer que sou idólatra porque acredito no poder intercessor de Maria Santíssima ou dos santos que estão junto de Deus, é apontar-me o indicador esquecendo que há outros três dedos na direção contrária.
Antes de falarmos em idolatria a Maria ou aos santos, devemos, sim, fazer uma profunda reflexão do que somos, de fato, idólatras, a lembrar péssimas qualidades muito próprias de boa parte dos seres humanos, tais como: mentir, ser falso, ser ladrão, ter usura, ter sede de poder, sem impiedoso sob todos os aspectos; enganar, fazer falsas promessas, se aproveitar dos momentos de fraqueza das pessoas para alçar a pontos superiores. Tudo, sob tais aspectos, fede a idolatria.
Por isso, antes de apontar o dedo para o irmão, é melhor nos voltarmos para dentro de nós mesmos e fazermos uma reflexão para ver o quanto há de hipocrisia no pensamento e nas falsas atitudes.

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Peregrinações dão o clima do Círio

Desde o começo deste mês, milhares de imagens de Nossa Senhora de Nazaré, com livros para novenas e cantos, além de cartazes, estão circulando por milhares de lares em toda a capital paraense e região metropolitana. A Comunidade de Oração Senhora Sant'Ana, da Paróquia São João Paulo II, está com três imagens.
"Nossa caminhada não objetiva quantidade de participantes nem número de novenas. Desejamos fazer um trabalho de evangelização com qualidade. Vamos peregrinando nas casas, nos prédios, nas empresas e até no quartel do Batalhão de Polícia Ambiental para levar o evangelho, a boa nova de Jesus Cristo a todas as criaturas. Nossa Senhora de Nazaré, que nos protege, é o mote para a evangelização, sempre dizendo 'fazei tudo o que Ele vos disser'. E é assim que estamos fazendo, afirma Nazaré Sarmento Barbosa, coordenadora da comunidade.
Ela explica que nesta fase, não participar das peregrinações deixa um "clima de vazio no coração da gente; mesmo enfrentando mil e uma dificuldades, é sempre melhor a gente estar participando".

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Polícia Militar comemora 16 anos do Batalhão de Polícia Ambiental


Depois da passagem de comando, personalidades recebem diploma da PM
Uma solenidade cívico-militar, na manhã de terça-feira passada, 29/08, marcou os 16 anos de criação do Batalhão de Polícia Ambiental e a troca de comando. O evento se realizou na sede do batalhão, à Avenida João Paulo II, no bairro do Souza, em Belém, e começou às 9h. O tenente coronel Fernando Alberto Bilóia assumiu o comando da unidade militar, substituindo o coronel Mauro Barbas, que agora é comandante de Policiamento Regional XII, no município de Breves, no Marajó.
Durante o evento, militares e autoridades civis foram agraciados com a 'Láurea do Mérito Pessoal” e diploma de “Amigos do BPA”. Oito policiais militares receberam o diploma de Destaque Operacional. Entre os civis que receberam o diploma assinado pelo coronel Fernando Bilóia, está a jornalista Nazaré Sarmento Barbosa, que coordena os eventos religiosos da Paróquia São João Paulo II e Comunidade de Oração Senhora Sant'Ana no Batalhão.
Na véspera da solenidade, terça-feira, 29, ocorreu a missa mensal do Batalhão, presidida pelo Padre Pedro Dioclésio, que, na oportunidade, abençoou a unidade militar, o novo comandante e todo o contingente do BPA.
“A ação da Polícia Ambiental vai além da fiscalização e aplicação da lei. Numa época em que cresce cada vez mais a conscientização da população, o Batalhão de Polícia Ambiental investe em projetos de educação ambiental, que levam informação e conceitos ao público de todas as idades, para que cada um se torne um agente ativo na preservação do meio ambiente”, afirmou o comandante do Batalhão de Polícia Ambiental, tenente-coronel Fernando Bilóia.
A comemoração de aniversário do BPA conta com uma vasta programação que iniciou com a palestra de Educação Ambiental, realizada na última segunda-feira, 28, para os alunos da Unidade de Educação Infantil “São José”, no bairro da Pratinha. Aproximadamente 40 crianças entre 3 e 4 anos participaram do evento que abordou assuntos sobre a importância doa animais silvestres em nossa fauna, maus tratos e a biologia dos animais. As crianças também tiveram contato com animais taxidermizados e outros que estão em reabilitação.
Nesta quinta-feira, 31, acontece o Desafio Ambiental: BPA Aventura, no qual os militares competidores participarão de uma corrida de 4 quilômetros com orientação e 23 quilômetros de percurso ciclístico. A concentração dos grupos participantes acontecerá a partir das 7h, no parque do Utinga.
“As ações de integração com a comunidade representa a capacidade da Polícia Militar de, cada vez mais, se renovar, e da possibilidade de avançar. Hoje, com o Comando de Polícia Ambiental, estamos começando a trabalhar a parte estratégica da política ambiental do estado”, relatou o coronel Mauro Pinheiro, comandante de Policiamento Ambiental, que se fez presente ao evento e foi o primeiro comandante do BPA.

Histórico

Preocupada com as questões ambientais, a Polícia Militar do Pará instituiu a 1ª Companhia Independente de Polícia de Meio Ambiente - CIPOMA no município de Parauapebas com o objetivo de proteção e preservação da Floresta Nacional do Araguaia e posteriormente, em 04 de abril de 1994, foi criada a 2ª CIPOMA/12ª CIPM, através da Portaria nº 023, devido a necessidade de preservação do Parque Ambiental de Belém.
Em 02 de agosto de 2001, através do Decreto n° 4.749, O Batalhão de Polícia Ambiental foi criado. Em 2006 o BPA fica subordinado ao Comando de Policiamento Especializado – CPE. Com a função de “exercer a polícia administrativa do meio ambiente, nos termos de sua competência, na constatação de infrações ambientais, na apuração, autuação, perícia, e outras ações legais pertinentes, quando assim se dispuser, conjuntamente com os demais órgãos ambientais, colaborando na fiscalização das florestas, rios, estuários e em tudo que for relacionado com o meio ambiente”.
Em 30 de março de 2017, através do Decreto n°1.735, o Comando de Policiamento Ambiental foi criado, tendo seu primeiro comandante o Cel Mauro Pinheiro, desta forma o BPA passou a ser subordinado ao CPA, juntamente com a Companhia Independente de Polícia Fluvial.






sexta-feira, 1 de setembro de 2017

E chega setembro

Começamos hoje o novo mês, setembro, fase das marés altas no Estado do Pará, Norte do Brasil, região Amazônica, Hemisfério Sul, continente sul-americano. Mês que já começa meio que parado por conta da Semana da Pátria, em que as crianças, os estudantes, vão à escola apenas para marchar em honra à Independência do Brasil.
Neste ano, de 2017, um ano atípico, em que estamos caminhando, para a frente, mas sem ver luz ao final do túnel, diante da grave crise econômica, política, social, de um Brasil mergulhado num atoleiro de desmandos, com grande parte da população desempregada e enfiada em dívidas sem previsão de pagamento, dadas as dificuldades em ter acesso à moeda, que só chega com facilidade às mãos de corruptos, de ladrões que estão acima do bem e do mal, dando as cartas nos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, bem como, na própria imprensa, que cala diante de tanta estupidez.
Estamos em um país, neste mês de setembro, onde o presidente da República só pensa em se manter no poder pelo poder do dinheiro, passando por cima de seu maior patrimônio, o povo, como um trator de guerra, tal qual na Praça da Paz em Pequim. Para se manter no poder, o governo compra até a alma dos parlamentares, mas, publicamente, coloca um ministro malandro e sem coração a dizer que há de cortar gastos públicos, benefícios porque a Previdência Social está falida. Ou seja, tem  dinheiro, e muito, para financiar a corrupção, mas nada para financiar o bem-estar da população, que está sob a mão de ferro do presidente, do chefão dos deputados e de seu imediato substituto, um tal de Fufuca. Para onde caminhamos? Para onde vai setembro?

domingo, 21 de maio de 2017

Município paraense assina protocolo de intenções com Portugal

Vista aérea de São Caetano de Odivelas-PA/Foto: Ray Nonato
Um protocolo de intenções objetivando o irmanamento entre duas cidades de diferentes continentes e países irmãos, foi assinado entre São Caetano de Odivelas, no Estado do Pará, e Odivelas, em Portugal. Por meio desse documento, será feita a integração cultural, turística, acadêmica e de políticas públicas voltadas para as duas populações na troca de informações sobre bioma amazônico do nordeste salgado paraense, coleta de caranguejo, clima, entre outros.
A assinatura do protocolo contou com a presença do prefeito paraense Mauro Rodrigues Chagas Macalé e o presidente da Câmara de Vereadores de Odivelas, o português Hugo Martins, que fez o convite à delegação do município paraense.
De acordo com Macalé, o relacionamento oficial entre São Caetano de Odivelas, no Pará, e Odivelas, em Portugal, começou em 2015, ano em que a cidade portuguesa era administrada por Suzana Amador, atual deputada junto ao parlamento daquele país. Entretanto, destacou, que, historicamente, as duas cidades estão ligadas desde a fase do Brasil Colônia, quando os jesuítas se instalaram no antigo lugarejo que deu origem ao atual município e o padre português, Frei Felipe, deu o nome de Odivelas em homenagem a sua terra natal e ao santo do dia, São Caetano da Divina Providência, como era de costume fazerem os religiosos jesuítas naquela época. Macalé ressaltou, ainda, que o protocolo de irmanamento representa a formalização de um importante intercâmbio entre as duas cidades, já que “ambas passarão a gerar um acordo com os princípios de igualdade e benefício mútuos”.
A solenidade aconteceu no último dia 8, no Passo Municipal de Odivelas. O vereador Hugo Martins disse considerar o irmanamento muito importante para ambas as cidades e assinalou que a ideia é promover um encontro cultural e comercial. "Temos laços históricos em comum e, por isso, considero que estou assinando um protocolo muito oportuno para que tanto a população de odivelenses brasileiros como a de portugueses possa promover intercâmbios culturais e turísticos".
De acordo com o documento, o começo da cooperação em vários setores inclui investimentos diretos, cultura, educação, meio ambiente e, especialmente, turístico, visando a divulgação “deste importante segmento da economia no sentido de atrair turistas europeus para o município paraense que tem um grande potencial turístico e cultural que precisa ser explorado para gerar renda e bem estar para a população de São Caetano de Odivelas.
Já Odivelas, em Portugal, tem população de cerca de 150 mil habitantes e está situada na região metropolitana de Lisboa. É administrado por uma câmara municipal composta por um presidente e dez vereadores, embora o legislativo municipal seja constituído por 37 parlamentares.
Atualmente, milhares de cidades, em mais de 120 países, participam do programa de irmanamento, cuja iniciativa é estimulada pela Organização das Nações Unidas (ONU), sendo que o vínculo tem como princípio estabelecer a troca de experiências e firmar parcerias que resultem na melhoria da qualidade de vida dos habitantes de cada um dos municípios envolvidos.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Ex-primeira dama Marisa Letícia tem morte cerebral

Família autoriza retirada dos órgãos para doação.
Internada desde o mês passado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, capital, a ex-primeira dama do Brasil, Dona Marisa Letícia Lula da Silva, mulher do ex-presidente Lula, teve morte cerebral decretada na manhã desta quinta-feira. A família do ex-presidente Lula autorizou que os médicos façam a retirada dos órgãos de D. Marisa para doação. D. Marisa sofreu um Acidente Vascular Cerebral e estava internada. Na terça-feira, apresentando melhoras, ela teve a sedação reduzida, mas piorou ontem.
Na Câmara dos Deputados, onde acontece, neste momento, a sessão de eleição do novo presidente da Casa, vários parlamentares estão iniciando suas falas com votos de condolências ao ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva.


quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Crise atinge os shoppings de Belém

A cidade de Belém conta com cinco shoppings centers e várias galerias. Em todos esses conglomerados comerciais encontramos espaços em desuso, camuflados por propagandas anunciando novos empreendimentos. Um dos jornais da capital, O LIBERAL, mostra, em sua edição de hoje, uma reportagem sobre o que vem acontecendo nesses espaços, com fechamento de lojas, sobretudo as pequenas, menos tradicionais, por não aguentarem a ausência de clientes e altas taxas administrativas da direção dos espaços.
Em alguns casos, segundo a matéria, as negociações com os shoppings não são nada fáceis; em outros, há negociações, mas os custos continuam altos. Os trabalhadores temem pelo desemprego que já atinge os 15 milhões de brasileiros.
Um dos shoppings, localizado à Rodovia BR-316, se modernizou, ampliou os espaços, no entanto, é o local onde encontramos o maior número de espaços desocupados e com o fechamento significativo de uma das lojas âncoras, que atraem consumidores.
Outro shopping, localizado na Avenida Centenário, é bem moderno, porém, desde sua inauguração, ainda não teve seus espaços 100% ocupados. Os que menos apresentam espaços cobertos por anúncios são os shoppings da Avenida Visconde de Souza Franco e da Travessa Padre Eutíquio, este, num dos pontos mais nobres da cidade, no bairro de Batista Campos, já perto do centro da capital paraense. No entanto, o que se observam, são lojas vazias, com propagandas de queima de estoque, mas cujos valores não encorajam a população a fazer novos gastos.
"Todo mundo está se segurando como pode. Hoje em dia, só se compra o que é mais necessário, como a comida, por exemplo. Temos que garantir os encargos sociais como água, luz, telefone e o combustível ou transporte público. Se sobra algo, é que se gasta, mas o momento é de segurar", afirma Benedito Bené Belém, sindicalista e administrador de empresas. Para ele, "o melhor é comprar na feira, pois até nos supermercados as coisas estão caras demais, nada fáceis para quem ganha pouco".

Idolatria

Costumo ouvir que somos idólatras por seguirmos Nossa Senhora de Aparecida, de Nazaré, a Mãe de Jesus sob quaisquer de seus mais variados tí...